Distrito de Santarém

Santarém é um distrito de Portugal, pertencente à região histórica do Ribatejo, exceto Ourém que fica situada na região histórica da Beira Litoral e Mação, na região histórica da Beira Baixa. Parte do seu território está incluído na região estatística NUTII do Alentejo, sub-região da Lezíria do Tejo, e na região estatística NUTSII do Centro, sub-região do Médio Tejo. Limita a norte com o Distrito de Leiria e com o Distrito de Castelo Branco, a leste com o Distrito de Portalegre, a sul com o Distrito de Évora e com o Distrito de Setúbal e a oeste com o Distrito de Lisboa e com o Distrito de Leiria. Tem uma área de 6 747 km² (3.º maior distrito português) e uma população residente de 465 701 habitantes (2009). A sede do distrito é a cidade com o mesmo nome.

O distrito encontra-se limitado a norte pelos distritos de Castelo Branco e Leiria, a sul pelos de Lisboa e Évora, a oeste pelos de Leiria e Lisboa e a leste pelos de Portalegre e Évora. É atravessado pelo rio Tejo que, juntamente com o Zêzere, o Almonda, o Alviela, o Nabão, o Muge, o Sorraia e o Almançor, seus subafluentes, e muitas ribeiras, banha e inunda regularmente os terrenos planos das suas margens, tornando-os muito férteis.
Está assim inserido no fértil vale do Tejo, no centro do país, encravado entre a cordilheira Central e as longas planícies alentejanas.
O acidente geográfico mais notável é o planalto da serra de Aire, a uma altitude de 679 metros.

Com uma área territorial de aproximadamente 6700 km2, divide-se em 21 concelhos: AbrantesAlcanenaAlmeirimAlpiarçaBenaventeCartaxoChamuscaConstânciaCorucheEntroncamentoFerreira do ZêzereGolegãMaçãoOurémRio MaiorSalvaterra de MagosSardoal, Santarém, TomarTorres Novas e Vila Nova da Barquinha. Estes concelhos compreendem 191 freguesias.
História e Monumentos
A cidade de Santarém, de fundação antiquíssima, caiu em poder dos Mouros em 715 e foi reconquistada em 1147, por D. Afonso Henriques. Por muitos anos, e por diversas vezes, serviu de local de residência aos reis de Portugal, e nela se reuniram, com alguma frequência, as cortes do reino.
Santarém é conhecida como a "capital do gótico", possuindo um vasto património arquitetónico, com destaque para os seguintes monumentos nacionais: a Capela de Nossa Senhora do Monte, a Capela do Santíssimo Milagre, o Convento de S. Francisco, a Fonte das Figueiras, a Igreja de Santo Estêvão, ou do Milagre, as igrejas da Misericórdia, de Nossa Senhora da Piedade, de Santa Clara, de Santa Maria de Marvila (um templo com três naves, apoiadas em doze elegantes colunas), de S. João de Alporão (fundada pelos Romanos e que hoje alberga o Museu Arqueológico), a antiquíssima Igreja de Santa Iria (cuja origem se desconhece e se encontra ligada a uma interessante lenda), o Templo da Graça (uma das joias do gótico em Portugal), a Igreja do Seminário (que foi dos Jesuítas e é atualmente a Sé) e a torre das Cabeças.
Os imóveis de interesse público são o chafariz de Palhais, o edifício da Câmara Municipal, a Igreja de Santa Cruz, a Igreja de Santa Maria de Alcáçova e as muralhas de Santarém. Os principais valores concelhios são a Igreja e a Capela de S. Nicolau. São de referir, ainda, a Fonte das Figueiras e a Porta de S. Tiago.
Nos restantes concelhos do distrito existem outros monumentos de interesse, como sejam, o castelo e o Convento de Cristo, de Tomar, o Castelo de Almourol, a Igreja de São Vicente de Abrantes, as pontes romanas com arcos de volta perfeita de Mação, o Palácio dos Duques do Cadaval, em Salvaterra de Magos, e o castelo e a "charola" do Convento de Cristo, em Tomar, entre muitos outros.
Tradições, Lendas e Curiosidades
O feriado municipal do concelho de Santarém é a 19 de março.
As principais festividades do concelho de Santarém são: a Festa e Feira do Milagre, em abril, a Feira da Piedade, no segundo domingo de outubro, a Festa da Imaculada Conceição, no primeiro fim de semana de setembro, a Feira de Santa Marta, e, por fim, a Festa da Senhora da Saúde, no primeiro domingo de agosto.
Na primeira semana de junho, começa em Santarém a Feira Nacional de Agricultura.
No concelho de Constância, realiza-se a Festa da Nossa Senhora da Boa Viagem, na segunda-feira de Páscoa, com procissão pelas ruas da vila e a bênção dos barcos. Esta festa remonta ao século XVIII.
O maior acontecimento do concelho da Golegã é a Feira Nacional do Cavalo.
Em Rio Maior têm especial significado a antiga Feira das Cebolas e a Feira das Tasquinhas, que permite contactar com a gastronomia do concelho.
Em Tomar salienta-se a Festa dos Tabuleiros.
Em Ourém, presta-se anualmente, a 13 de maio, o culto à Virgem Maria - Fátima acolhe, sobretudo nesse dia, milhares e milhares de peregrinos que aí se deslocam para venerar Nossa Senhora e para cumprir promessas.
Fazem parte do património cultural de Santarém as lendas do Santíssimo Milagre, de S. Frei Gil, dos Meninos de Alfange, de Cristo de Monte Iraz e de Pinheiro Grande. Em Ferreira do Zêzere destaca-se o conto da Senhora do Pranto.
O artesanato engloba as mantas de Minde, trabalhos em ferro, em ráfia e em bunho da serra de Aire e Candeeiros, artigos manufaturados em couro, bonecas de pano, instrumentos musicais de corda do Entroncamento, rendas, bordados, cerâmica pintada à mão, bonecos de madeira, entalhada, artefactos de olaria e latoaria, trabalhos de arame, tecelagem em fios de algodão, lã e linho e velas de cera artísticas.
Economia
O facto de estar implantado numa fértil planície aluvial faz com que apresente elevadas potencialidades para a prática da agricultura e da pecuária.
São conhecidas as lezírias, principalmente pela sua fertilidade, nas quais se produzem sobretudo vinho, azeite, frutas e cereais e onde pastam manadas de bois e cavalos.
A pecuária é, pois, a par da atividade agrícola, uma importante fonte de riqueza para a economia da região, que também possui indústrias de cerâmica, de madeira, alimentares, químicas, metalúrgicas, de celulose, de material de transporte e de construção civil, grande parte situadas naquilo que se chama o triângulo industrial de Torres Novas-Tomar-Abrantes.
Mas também a sua riqueza histórica e as suas belezas naturais são motivos de atração turística. O panorama que se pode admirar das "Portas do Sol", sobretudo ao fim da tarde, é considerado extremamente belo, contribuindo, a par com a riqueza gastronómica, etnográfica, patrimonial e ambiental, para o desenvolvimento do turismo nas suas mais diversas modalidades.

 

FPA-Federação Portuguesa de Autocaravanismo

Membro Permanente da FICM - Federation Internationale des Clubes de Motorhomes

 2018 FPA - All Rights Reserved

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now